22 de setembro de 2010

Odeceixe - Once Again!

Setembro é um mês muito mágico em Portugal. Senão vejamos:

a) É o mês em que, tradicionalmente, vamos de férias para a sempr'eterna Odeceixe (já fazemos parte do Círculo de Amigos de Odeceixe!);
b) É o mês da magia em Coimbra (Encontros Mágicos de Coimbra);
c) É o mês do MagicValongo (por isso se diz "em Setembro Valongo tem mais magia!");
d) É o mês em que FM + MJ = FMJ (um doce a quem decifrar esta fantástica equação);
e) É o mês em que nos despedimos do Verão e damos as boas vindas ao Outono;
f) É o mês do milagre das vinhas (vindimas e produção do néctar dos deuses)
g) É... e mais não digo!

Por esta ordem de ideias vamos dar início à magia. Neste caso, mais concretamente, pelas nossas férias em Odeceixe. O nosso dia de saída de casa foi bem chuvoso, connosco a pensar: "Gandas malukos! Onde vamos nós em calções, com este temporal na rua?" Mas, quais aventureiros ousados a enfrentar Adamastor, lá fomos nós até ao Alentejo na fronteira com os Algarves (ou melhor, no Algarve, na fronteira com os Alentejos!), onde, felizmente, o Rei Neptuno foi amigo e nos concedeu uns dias fantásticos de praia.
Já sei o que estão a pensar... "Deixa-te mas é dessas mer*## e mostra lá é as fotos!" (fiquem a saber que não autorizo aqui palavrões, tá? Não considero isso censura, nem tão pouco um atentado à liberdade de expressão. Apenas, por uma questão de princípios e porque este espaço é todo ele cultura, palavras menos próprias serão sempre banidas do léxico aqui usado. Daí que, quando voltarem a olhar para cima, a palavra ter-se-á destruído em 7, 6, 5... segundos!)
E como sou simpático, mesmo para quem diz algumas asneiras, vou satisfazer-vos o pedido. Vamos, pois, lá às fotos!


...Figura_01: Reparem na tempestade que se abatia sobre Aveiro. Não apenas no vidro do carro, cheio de gotículas bem grossas, mas no carro que passou na nossa frente projectando um mar de água que já corria por cima da estrada!


...Figura_02: A viagem decorreu tranquila, ainda com algum chuvisco pelo caminho, mas nada que nos impedisse da passagem obrigatória por Porto Covo e pelo Marquês, para os habituais camarões e polvo com a obrigatória cerveja! Chegámos a Odeceixe ao final da tarde, ainda com o céu semi-obscured by clouds (conhecem? Pink Floyd, pois claro...), mas felizmente já sem queda de lágrimas dos anjos nas núvens!


...Figura_03: A hora da chegada à casa que passou a ser nossa naqueles dias subsequentes.


...Figura_04: A vista sempre reconfortante daquela simpática vila algarvia mesmo à beira do Alentejo!


...Figura_05: Só no dia seguinte, quarta-feira, fomos até à praia, para apanhar os primeiros raios de sol. A chuva da véspera à saída de Salgueiro estava já definitivamente esquecida!


...Figura_06: Odeceixe é sinónimo de tranquilidade, de férias pacatas longe da confusão e muitas horas de descanso. Mas para não habituarmos mal o corpo há que dar-lhe algum castigo... como fazer caminhadas entre a vila e a praia (cerca de 3,1 km para cada lado, num total de... ora bem 7x3=21, noves fora dá 3... assim... bem... amanhã digo-vos o total, pode ser?). Aqui estou eu na pose prá primeira caminhada da temporada.


...Figura_07: Também a minha maridona, com a ribeira do Seixe em pano de fundo.


...Figura_08: E lá vamos nós, airosos; FMJ pela verdura; formosos e muito seguros... Também poderia ser: Seguimos aos esses pelo Seixe acima;, depois de mais uma bjéka no Agapito; curtindo uma (road) trip mesmo a pé; Sapatilhas não bicudas mas com joanetes...


...Figura_09: Poderão perguntar-se o significado desta fotografia, mas eu, como sou boa pessoa, explico! Esta é uma imagem que vai ser histórica, já que, estou convencido, para o próximo ano já não veremos esta arriba assim. Tudo indica que ela irá ruir sobre a estrada, a menos que alguém atento, proceda à limpeza da encosta antes dela cair. Só espero que não provoque nenhum acidente ali na zona... E não digam que não avisei!


...Figura_10: Além de bonitas paisagens, ainda podíamos apreciar os belos alazões que pastavam à beira da estrada. Belos espécimens, certo?


...Figura_11: Mais uma partilha convosco: Filipe vem do grego e significa "amigo de cavalos". Perceberam? Esta foi profunda...


...Figura_12: E chegámos finalmente à vila, terminando a jornada em beleza. Ou deveria dizer... embelezada?


...Figura_13: E o tempo foi-se passando, ao ritmo de umas idas até à praia trabalhar o bronze, uns almoços caseiros ou na vila, umas visitas ao Kiosk'Agapito... Mas também tínhamos tempo para apreciar outras belezas, como este encadeante pôr-do-sol, a fazer-nos recordar o cavaleiro solitário Lucky Luke no seu regresso a casa: "I am a poor and lonesome cowboy..."


...Figura_14: E que dizer do encanto que Odeceixe tem à noite? Parece um local encantado, digno das 1001 noites...


...Figura_15: Há tantos anos a visitar Odeceixe e acreditam que nunca tínhamos ido ver a vila algarvia vista da margem alentejana do Seixe? Este ano saneámos essa lacuna!


...Figura_16: E porque o nosso amigo Fernando Agapito passou o seu bar para o filho Nelson (daí o Quiosque se ter modernizado em Kiosk...), já não o encontrávamos diariamente na praia. Vai daí fomos visitá-lo à sua terra alentejana, Cavaleiro, junto ao Cabo Sardão. E ele foi mostrar-nos a sua horta, um local bem aprazível!


...Figura_17: Depois da hortinha fomos visitar a praia local com um nome bastante curioso: Praia da Carraca. Isso mesmo, sem cê cedilha (não é carraça, como alguém escreveu numa placa, prontamente corrigida, ainda que de forma incorrecta, "partindo" a cedilha do azulejo mas ficando igualmente a ler-se "Carraça" à distância). Carraca ou Carraça, o que importa é a sua beleza natural, tão característica do nosso SW alentejano!


...Figura_18: O pôr-do-sol na Carraca, mesmo ao lado do Cabo Sardão.


...Figura_19: Saímos "da praia da D. Maria" (foi a praia que ela sempre frequentou na sua meninice), mas fizemos a foto de família para recordação futura!


...Figura_20: Claro que no final do dia decorreu um saboroso jantar de peixe no restaurante mesmo ao lado da casa da família Agapito, onde tivemos direito a tratamento VIP (ou não fosse a dona sobrinha da D. Maria, com a simpatia alentejana!).


...Figura_21: Mas Odeceixe não pode ser só boa vida! Há também que castigar o corpo; neste caso, dando as minhas tradicionais corridinhas entre a vila e a praia, na ordem dos seis e pouco quilómetros que tão bem sabem!


...Figura_22: Mas a causa primeira era mesmo a praia e o bronze, pelo que eis o artista em grande pose, sobre a praia.


...Figura_23: Infelizmente o dia do regresso tinha que chegar. Na hora de despedida ainda houve tempo para ver o ritmo daquela vila, aqui bem representado pelo "jogo do gato e do rato"...


...Figura_24: Esta foi a foto de despedida de Odeceixe, connosco a posar sobre a praia. Claro que não é um "adeus" e sim um "até já!"


...Figura_25: Claro que o regresso teve que passar novamente por Porto Côvo e pelo Marquês, porque a tradição ainda é o que era!


...Figura_26: E porque... "Havia um pessegueiro na ilha, plantado por um vizir de Odemira; dizem que por amor se matam logo..." Digam lá que não pareço mesmo um pirata...

E foi assim que tudo aconteceu. Tudo apontava para um final feliz, não fosse a triste notícia da morte do pai de um grande amigo, também ele um amigo especial! Paz à sua alma. Que as estrelas de Setembro recebam no seu seio a sua alma em forma de uma nova estrela!
Fiquem bem!...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home