8 de junho de 2010

Noites Mágicas no Moliceiro - 2.ª Edição

Já se pode afirmar que Aveiro tem mais magia! Graças à iniciativa conjunta entre o Hotel Moliceiro e FMJ Magia (de Filipe Monteiro, que é o Je, Moi même), aconteceu a segunda noite de magia naquele espaço magnífico que é o bar do melhor Hotel que Aveiro tem! E digo isto com conhecimento de causa, não apenas porque acolheu esta iniciativa que se pretende com uma periodicidade (quase) mensal, mas por todas as outras iniciativas culturais que ali são realizadas, o ambiente fantástico que todo o seu staff proporciona aos clientes (amigos), a qualidade do seu serviço e o conforto de todos os seus quartos. Diz quem conhece que vale a pena passar (pelo menos) uma noite neste hotel. Por isso, já sabem! Nada como aproveitar a próxima edição do "Noites Mágicas no Moliceiro" (ainda sem data marcada mas previsto para inícios de Julho - sim, eu avisarei atempadamente, via e-mail e no Facebook) para ali reservarem uma noite de dormida, que pode bem ser coincidente com a noite da magia! Fica a sugestão...
E para vos despertar o apetite, eis o relato do que ali se passou na passada noite de 29 de Maio, com a segunda edição do "Noites Mágicas..."


...Figura_01: Todas as noites podemos ouvir a música do piano tocado pelo talentoso Sr. Veloso (rima e é verdade), pelo que também associamos este som com as "Noites Mágicas"... Vêem como vale a pena ir até lá?


...Figura_02: E a magia começou com o efeito da "carta na corda", em que o artista (eu, claro!) adivinha uma carta seleccionada por um qualquer espectador e a retira atravessada por uma corda que parece atravessar-lhe o corpo. Curiosos? Para a próxima venham ver... ;-)


...Figura_03: A magia continuou com um jogo que terminava com dois prémios: um para o artista (eu, adivinharam!) e outro para a pessoa do público (neste caso a Sónia). No final ganhou um peixe, que produzi (novamente) a partir de um pequeno papel. E assim surgiu o "Molly II", oferecido novamente ao Moliceiro (um doce a quem adivinhar o porquê deste nome para o peixe... É fácil? 'Tá bem, tb acho!).


...Figura_04: E porque sempre gostei de associar os Contos à Magia, voltei a encetar essa experiência. Desta feita coube ao conto da "Menina do Ar", a minha versão (original) da conhecida história da Sofia de Mello Breyner Andresen, em que qualquer semelhança com a versão da Sofia... até pode nem ser mera coincidência! Aqui a apresentação do fogo à "Menina do Ar"...


...Figura_05: Que rapidamente se transforma numa flor, também esta oferecida pelo menino à "Menina"...


...Figura_06: E porque o menino também quis apresentar o vinho à "Menina do Ar", o artista (eu, portanto!) teve que introduzir novo efeito mágico para produzir uma garrafa de vinho tinto a partir de lenços previamente mostrados ao público (o que vocês perderam por não terem ido!)


...Figura_07: Deu-se continuação à magia, com o efeito da corda cortada e restaurada, um clássico que sempre apresento para arrancar algumas gargalhadas ao público mais jovem (e não só).


...Figura_08: Seguiu-se o efeito indiano do "corte da mão" de uma assistente do público (que tenha coragem de arriscar a sua mão). Ela bem que procurou recusar mas o seu namorado (?) insistiu para ela vir. Seria por ter algo contra ela? Ou por confiar cegamente no mágico (que, já agora vos digo, sou eu!)? Bom, no final as cenouras surgiram cortadas mas o punho continuou incólume...


...Figura_09: Destaque ainda para o tradicional efeito do "Jornal rasgado e restaurado", um truque que sempre encanta a plateia. Também desta vez se ouviu um "Uoohhhh!" do público quando, depois de ter rasgado todas as folhas, subitamente o jornal reapareceu restaurado. Não acreditam? Para a próxima poderão ver...


...Figura_10: Depois de fazer desaparecer quase um litro de leite de uma folha do jornal restaurado e fazê-lo reaparecer de um funil, representei o papel do "mágico mascarado" ao revelar como se faz para restaurar o jornal... na forma de papel higiénico. Assim, a audiência foi convidada a seguir todos os meus movimentos, rasgando uma folha de papel higiénico. Vejam o espectáculo que resulta de tão divertido número, com esta imagem de um lado da sala...


...Figura_11: E também do outro lado da sala. Todas as pessoas seguiram as instruções dadas pelo artista (já vos tinha dito que sou eu?), mostrando as diversas tiras em que rasgavam o papel. Só que na hora da sua restauração, apenas o (verdadeiro) mágico mostrou a folha inteira. Porque será?


...Figura_12: O espectáculo terminou por volta da meia-noite (ou mais, não sei!), com todas as pessoas rendidas à boa disposição geral e ao espectáculo em particular. No final ofereceu-se o "Molly II" à Dininha, uma das minhas espectadoras mais atentas.


...Figura_13: E é com esta última imagem do (verdadeiro) artista da noite que me despeço de todos vós, desejando-vos uma excelente semana e, claro, que não hesitem em comparecer no Hotel para a terceira edição do "Noites Mágicas no Moliceiro".
Fiquem bem!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home