23 de maio de 2011

Festa da Primavera, LANCE (Couto de Esteves). A caminhada...

Pois! Este vosso amigo agora (quase) não quer outra coisa! O tempo tem convidado aos percursos pela Natureza, que tão bem nos fazem ao corpo e ao espírito. Por isso, foi-nos impossível resistir ao repto lançado pela LANCE (Liga dos Amigos Naturais de Couto de Esteves), na pessoa do seu Presidente, Dr. Sereijo.
Assim, e depois de uma rápida combinação com os nossos amigos Miguel e Paula, que nos inscreveram para a primeira parte desta Festa da Primavera (a que continha a caminhada seguida de almoço), dirigimo-nos na manhã do passado dia 14 deste mês de Maio, até Couto de Esteves onde o Miguel já nos aguardava (e a Paula manteve-se fiel ao que nos tinha dito, não participando da caminhada! Tssss... Tssss... Tssssss...). Depois de um primeiro café matinal no "Júnior" e de uma rápida passagem pela casa deles para a Zé lhes deixar vários vasos com plantas aromáticas, encaminhámo-nos para o Couto de Baixo e até ao local onde a mesma daria início (aqui, sim, chegámos já um pouco mais tarde que o grupo, pelo que lhes seguimos no encalço).
E, claro, como já estão habituados, passarei à descrição do percurso recorrendo às fotos recolhidas. Até porque, como diziam os poetas, uma imagem vale por mil palavras. E porque estou um pouco cansado e sem vontade de escrever entre 35.000 e 39.000 palavras... (isso mesmo, adivinhara! Tenho entre 35 e 39 imagens para colocar nesta publicação... Ainda não me decidi por quantas irei publicar, mas no final veremos!). Aqui vão elas!


...Figura_01: O início da caminhada. Contrariamente ao que estão habituados, desta feita não houve fotografia de grupo, até porque o grupo já tinha seguido caminho. Assim, fiquei eu e aquela bonita árvore para o registo oficial do dia.


...Figura_02: E em rápidas passadas, prontamente nos chegámos a um segundo grupo, também eles atrasados relativamente ao "pelotão da frente".


...Figura_03: Felizmente que a organização (LANCE) tinha o percurso muito bem sinalizado, mesmo que recorrendo a sinais personalizados e não aos oficiais do "trekking" (eis mais uma palavra que vos adiciono ao vosso vocabulário! E nem precisam de me agradecer... Mas podem fazê-lo, enviando um simples comentário! lol).


...Figura_04: A paisagem junto ao Rio Branco (ou Rio Gresso, talvez nalguma analogia entre a marca dos conhecidos pacotes de leite que conferem a cor "branca" à água...?) era verdadeiramente exuberante, com algumas espécies "raras" a surgirem no meio do capim...


...Figura_05: Claro que junto a linhas de água corrente quase sempre haviam moinhos de água. Também aqui os havia, se bem que abandonados e ocupados... pela vegetação!


...Figura_06: O vosso amigo caminhante num verdadeiro túnel de kiwis (árvores) entrançados, que nos obrigavam a praticamente rastejar...


...Figura_07: Retomando depois novamente o trilho, mais acima, já com a Paula (uma nova colega de percurso que foi caminhando connosco) e a Maria José em ascensão acelerada...


...Figura_08: Nova marca indicando a presença de mais moinhos (Souto dos Moinhos), também abandonados...


...Figura_09: Com nós os três (eu, a Zé e a Paula) a fazer novo desvio ao trilho principal para irmos espreitar os moinhos e a paisagem circundante encantadora!


...Figura_10: Eis-las a chegarem aos moinhos...


...Figura_11: E eis a paisagem encantadora, com o rio a correr ao fundo de tanto verde!


...Figura_12: Novo moinho e nova paisagem encantadora... (Ops! Afinal eu é que estou encantador!)


...Figura_13: Sim, sei que vos fiz lembrar Atlas carregando o mundo nos seus ombros. Felizmente que a minha tarefa era bem mais simples, "carregando" apenas um pequeno calhau sobre o meu "vigoroso pau" (espaço PUB) LOL!


...Figura_14: Mais uma pequena amostra da beleza que o trilho nos proporcionava...


...Figura_15: O percurso passava ainda por alguns lugarejos de Couto de Esteves, como esta pequena aldeia toda bem reconstruida e recuperada. Aqui o Largo do Relógio...


...Figura_16: Um exemplo das casas recuperadas. Na imagem, precisamente a casa que contém o relógio que dá o nome ao largo... Não o vêem?


...Figura_17: Então e se eu fizer um "zoom"? Já o conseguiram detectar? Boa...


...Figura_18: Novo desvio ao trilho devidamente sinalizado, este para irmos espreitar a "eira dos canastros" que, deduzo, seja o mesmo que "espigueiros", pois foi o que ali encontrámos, a fazer-nos lembrar Soajo, no Gerês...


...Figura_19: Seja que nome for, o desvio valia a pena, pois a paisagem era encantadora. Foi também ali que reencontrámos o grosso da coluna... de caminhantes!


...Figura_20: Incluindo o nosso "velho conhecido" e meu consórcio de nome, Filipe, aqui com duas amigas alemãs (o que internacionaliza assim a nossa caminhada!)


...Figura_21: Regressámos novamente ao trilho, seguindo o "pelotão da frente"...


...Figura_22: E porque agora me habituei aos "auto-retratos", assim ao jeito de Van Gogh ou de Picasso, mas com muito mais estilo do que eles, eis nova imagem do caminho... e do caminhante!


...Figura_23: Claro que a Zé ia sempre reparando nos "pequenos" pormenores de beleza que a Natureza nos proporciona nestas caminhadas, como este "anel" que lhe embeleza os seus dedos.


...Figura_24: Não! Não é um comício eleitoral nem eu estou a falar ao povo! Foi novo momento de paragem do grupo, que nos permitiu reagrupar (lembram-se que figura de estilo é esta? Não? Então façam favor de ler uma das minhas últimas publicações...)


...Figura_25: Novo "auto-retrato" a mim e à Zé, desta vez recorrendo a imagens de satélite... ou parecido!


...Figura_26: O grupo já seguia mas o fotógrafo, atento, captou esta imagem da Zé sentada numa mesa granítica... Enquanto a Paula captava o fotógrafo atento!


...Figura_27: E como carneirinhos, lá seguimos o trilho em filinha indiana (ainda não explorei porque se diz que a fila é indiana, quando eu sei que há tantos portugueses que também andam por aí à "má fila"...)


...Figura_28: Toda a gente respeitou o chamamento do fotógrafo para captar este momento digno de registo.


...Figura_29: O percurso foi seguindo em ambiente de agradável descontracção...


...Figura_30: Nova indicação de um pequeno desvio ao trilho principal, aqui para apreciar mais uma área de beleza inigualável: o Bouço Velho.


...Figura_31: O desvio levava-nos por uma descida com declive acentuado, mas que nos reservava uma paisagem que justificava o esforço.


...Figura_32: No entanto, esta descida ainda resultou maior para mim e para a Paula, que me acompanhou até ao fundo, bem junto ao rio, sobre as rochas. E se tem levado fato-de-banho bem que ela teria dado um mergulho...


...Figura_33: Neste percurso acabei por ser um felizardo. É que surgiu um novo desvio a indicar a ponte penso que sobre o rio Teixeira (desculpem-me os locais se estou a nomear mal o rio, mas é que ali na zona temos pelo menos três...), tendo-me eu aventurado sozinho por ali fora... E esta foi, talvez, a parte do trilho mais bonita e que, pelos vistos, mais ninguém fez, já que os atrasos que se registavam fizeram com que a Organização viesse a retirar a marca que indicava este desvio (como comprovei depois, ao regressar ao trilho).


...Figura_34: Esta parte do percurso também tinha declive acentuado, na descida até à ponte em cimento que seguia pela marginal do rio por um pequeno mas bonito carreiro entre rochas. Tal e qual como eu aprecio!


...Figura_35: E à chegada à ponte todos os esforços se viram recompensados, pois a paisagem valera a transpiração derramada.


...Figura_36: Mas, e porque se fazia tarde e o almoço deveria estar a chegar, havia que me fazer ao regresso, não sem antes ainda fazer mais esta foto ilustrativa da vegetação luxuriante que naquela parte do percurso existia.


...Figura_37: Mesmo com o desvio efectuado ainda assim não fui o último, tendo a minha chegada coincidido com a chegada do almoço a ser servido (mais uma vez) pelo Restaurante Júnior! Desta vez o espaço eleito foi no jardim de uma das casas do grande mentor desta caminhada e das iniciativas da LANCE.


...Figura_38: E tudo está bem quando acaba bem, pelo que também aqui se estava bem! Eram horas de beber um café ou, claro, umas mines de fim de caminhada, com a particularidade de, aqui, o nosso Miguel e a "nova" Paula chegarem à conclusão que deveriam ter sido amigos de infância... sem se conhecerem agora! É caso para dizer: "E esta, hein?".
Valeu o dia, valeu a caminhada, valeu a iniciativa da LANCE (desta feita eu e a Zé não pudemos ficar para a parte final, com conferências de ilustres convidados seguidas de jantar também no Júnior), valeu o momento bem passado... simplesmente valeu! E por isso, o meu desejo: fiquem bem! (Valeu?)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home