18 de maio de 2011

PR3 - Vereda do Pastor: (Re)edição 2011 pelos Tocacaminhar!

A pedido de várias famílias... bom, na verdade a meu pedido e do Ângelo (Conde) mas com a total concordância da Liliana (Vidal), o grupo Tocacaminhar (a Liliana, portanto) organizou "novo" percurso pedestre no passado dia 8 de Maio (estando o "novo" entre aspas precisamente porque foi a reedição de um percurso feito por apenas nós os três em 2009 e que tanto nos encantou na altura). Aliás, foi precisamente pelo encanto que este PR nos conferiu que quase exigimos ser este o percurso a fazer-se!
E para os leitores mais atentos e que seguem este blog desde os seus primórdios (ou, pelo menos, desde 2009), adianto já que qualquer semelhança entre as imagens que aqui vos mostrarei e as publicadas no relato feito em 2009 podem ser mesmo mera coincidência! É que, na verdade, a paisagem deslumbrante que naquele ano ali encontrámos (e que apelidámos de "mar amarelo"), infelizmente este ano mostrou-se negro cinza, fruto dos maus tratos que nós, humanos, vamos fazendo à nossa mãe Natureza, quais filhos ingratos que não respeitam a Terra que nos acolhe!
No entanto, e voltando ao PR, ainda assim vale a pena fazer este percurso pois aquelas descidas e subidas pela serra, saltitando rochedos e trepando carreiros... valem mesmo a pena. Mesmo com a paisagem ainda revelando os incêndios que por ali ocorreram, mas felizmente a dar já sinais da sua recuperação, com o verde a querer emergir por entre aquele tom cinzento que o fogo conferiu. Mas vejam as fotos...


...Figura_01: E eis a primeira (grande) diferença! Enquanto que em 2009 éramos apenas 3 aventureiros, em 2011 fomos 12... e um cão (ganda Piruças!). Da esquerda para a direita e, tal como nas equipas de futebol, primeiro os que estão de pé e depois os abaixados: Cândido, Sandra, Tânia, Carlos, Luís (semi-oculto), Liliana, Maria José (e os dois dedos à chinês) e Antonieta; Cléber, Piruças (não confundir! Este é que é o animal canino), Marco, Filipa, Filipe e o pau do Filipe (ganda pau!)


...Figura_02: Aqui surge já uma semelhança; é que também neste dia ameaçava chover. Mas a diferença é que, desta vez, o grupo não desistiu (tirando duas pessoas, uma delas com justificação "médica") e compareceu em força. Vejam o início, com o grupo a perder-se no nevoeiro...


...Figura_03: O grupo iniciou a subida da Vereda sem receios dos mouros, pois sabíamos que algures, lá no alto, D. Sebastião vigiava-nos...


...Figura_04: Neste início a paisagem apresenta-se leitosa e com pouca visibilidade. E não, não era da lente da câmara embaciada!


...Figura_05: Mesmo com o nevoeiro como p(l)ano de fundo, apreciem a beleza que representa um pequeno arbusto a crescer no cimo daquele grande rochedo... Quem diz que em Portugal até nas rochas é possível cultivar?


...Figura_06: E porque algumas das marcas do percurso se tornavam pouco nítidas, por vezes tínhamos que recorrer às marcações "à moda antiga": as mariolas!


...Figura_07: Ah! Para que não digam que quem diz estas coisas não gosta de dar a cara... Olá! Para os que me conhecem, o meu nome é Filipe Monteiro. Para os que não me conhecem o meu nome continua a ser Filipe Monteiro. E para AS que me querem conhecer, o meu número de telefone é o... (apagado pela censura!)


...Figura_08: Nesta imagem já se consegue perceber, mesmo com todo o nevoeiro, que os arbustos que há dois anos exibiam um amarelo exuberante, apresentam o seu tronco queimado e, claro, sem qualquer cor (o preto é a ausência de cor, certo?).


...Figura_09: Mas, mesmo sem a cor amarela do mato, ainda assim deu para curtirmos o percurso ziguezagueante encosta abaixo, por cima de pedras e outros obstáculos... Aqui a Zé, o Luís e o nosso estreante Marco Arede!


...Figura_10: É, pois, caso para dizer, Liliana, que foi uma aposta ganha a escolha deste trilho! ;-)


...Figura_11: Até porque, mesmo sem o mar amarelo, tínhamos o... mar de nevoeiro para apreciar, subindo pelas escarpas qual dragão esvoaçante...


...Figura_12: E sempre iam aparecendo alguns motivos para a reportagem fotográfica... nem que fossem apenas o retrato da Liliana a retratar algo mais!


...Figura_13: Ou o retrato de um casal-maravilha ali presente...


...Figura_14: Eis aquilo que se avistava (do ponto de vista do fotógrafo).


...Figura_15: Apesar das condições deixadas pelos incêndios que no Verão anterior por ali singraram, a paisagem apresentava-nos algumas das suas belezas... em poses artísticas!


...Figura_16: Por vezes era preciso levantar bem alto o pau... para nos avistarem ao longe!


...Figura_17: Eis o momento da reunião dos Filipe(a)s...


...Figura_18: Eis a (mesma) queda de água que surge em 2009. Só que, desta feita, mais ninguém a foi "visitar" pois para ali chegar era preciso passar pelo meio de muitos tocos queimados e sujos...


...Figura_19: ... Pelo que a maioria dos caminhantes não avistaram esta bonita zona. Partilho, pois, com todos a beleza da paisagem...


...Figura_20: O Piruças é que se divertia à grande e à... cão, sempre a correr para trás e para a frente, fazendo seguramente duas vezes o nosso percurso...


...Figura_21: Mais uma árvore a nascer nas rochas...


...Figura_22: Ainda por cima, esta dá "frutos estranhos" (né, Cléber?)...


...Figura_23: Imagem da descida final... a meio do percurso (sim, porque a partir deste ponto era sempre a subir!).


...Figura_24: Fomos visitar esta aldeia, "apreciando" o modus vivendi das pessoas que ainda resistem às duras condições de viver no meio de nenhures...


...Figura_25: Desculpem-me os mais sensíveis, mas senti a obrigação de partilhar convosco esta imagem. Afinal, não é justo ver os nossos políticos a falarem tanto da crise e dos problemas (por eles criados), sempre no meio de grandes almoços e em locais com requinte... alguma vez terão visitado estas pessoas que vivem nestas condições? Em que, para saírem de casa, só de galochas (imaginam calçar saltos altos neste "alcatrão"? Já para não falar a quantidade de moscas que rodeavam uma senhora de idade a degustar o seu (pobre) almoço à porta da sua humilde casa). Acredito que, no máximo, achariam isto "pitoresco"... confundindo com "grotesco"!


...Figura_26: Momentos de contemplação 1 - a hora do almoço, com o Piruças a procurar convencer a Filipa para partilhar com ele a sua sandoca!


...Figura_27: Momentos de contemplação 2 - desta feita o Piruças contemplou o fotógrafo... ou melhor, a sua sandwich!


...Figura_28: O final do almoço com o casal maravilha na pose para a posteridade!


...Figura_29: Recomeçámos o percurso e com isso o início da subida!


...Figura_30: E porque era sempre a subir, a contemplação desta fotografia até me deixa cansado...


...Figura_31: E agora uma diferença notória - a paisagem antes amarelada, agora bastante mais negra!


...Figura_32: Vêm a mesma paisagem, colhida em 2009?


...Figura_33: E uma nova foto de 2011, com a paisagem ao fundo enegrecida (eu sei que a luminosidade do modelo na foto disfarça um pouco essa negridão...)


...Figura_34: No mesmo local, dois anos antes (comigo, com a Liliana e com o faltoso Ângelo)...


...Figura_35: Um momento do percurso em que não se subia... apreciado pelo Marco, pelo Carlos e pelo Piruças...


...Figura_36: ... E por todos os outros, que os seguiam, confiantes...


...Figura_37: Avistando "THE" tufo resistente ao incêndio, com uma amostra do que seria o "mar amarelo" sem o incêndio...


...Figura_38: Felizmente que no grupo seguiam dois "velhinhos" do trilho, pois demos conta que já íamos pelo trilho errado... Então eu não tinha dito que seria sempre a subir? E não viam que esta parte do percurso seguia a direito... ou mesmo a descer um pouco? Havia, pois, que voltar para trás, já que o incêndio também queimara as marcas que assinalavam o trilho correcto!


...Figura_39: E enquanto o pessoal voltava para trás, novamente a subir até nós, fomos fazendo fotos "artísticas"...


...Figura_30: Por exemplo, com a Liliana a mostrar a sua tendência para as línguas... latinas!


...Figura_40: Ou a Zé, a não querer ver o que ainda tínhamos que trepar (este era o termo mais adequado!)


...Figura_41: O Marco não sabia se havia de se rir se de chorar, tal a felicidade por esta sua primeira caminhada connosco!


...Figura_42: Também eu mostrei o meu descontentamento... com o que os incêndios ali provocaram!


...Figura_43: Felizmente que a Natureza é muito mais sábia que os humanos, e aproveita o que resta dos incêndios... como fertilizante para reassumir a sua majestosa verdura...


...Figura_44: Finalmente o restante pessoal chegou até nós, retomando a subida pelo trilho certo.


...Figura_45: E o monte estava quase vencido, com todos nós a saborear o momento!


...Figura_46: Claro que o verdadeiro "saborear o momento" veio depois, com o grupo reunido na primeira tasquinha que surgiu, para as já tradicionais mines...

E prontes. Foi assim que, em clima de festa e cheios de vontade para a próxima caminhada, que nos despedimos e regressámos até Aveiro e cada um às suas casas.
Fiquem bem!

2 Comments:

Blogger Daisy said...

que inveja... q espectaculo de de relato! obrigada

20 maio, 2011  
Blogger Phil Mount / Filipe Monteiro said...

Obrigado, Daisy... É sempre um prazer ouvir "críticas" assim. Ah! Se tivessem sido das más, amanhã enviaria um vírus para o seu PC que o destruiria todo... lol
Agora a sério, obrigado! Bjs...

23 maio, 2011  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home