15 de maio de 2011

Noite de magia em Monção - Phil Mount

Foi já há mais de dois anos que (re)descobri Monção, uma simpática vila bem lá no norte de Portugal, na margem sul do rio Minho, e que retratei numa publicação anterior neste nosso espaço de divulgação. Pois foi ali mesmo, no coração da sua praça central mais emblemática, antigamente Praça do Curro e hoje Praça Deu La Deu em homenagem a essa senhora da terra que, dizem, estando Monção cercada pelos espanhóis aquando das lutas entre estes dois países vizinhos, com o povo faminto quase sem ter que comer subiu ao alto das muralhas e mandou distribuir pão pelos exércitos espanhóis, numa verdadeira acção de bluff. Com esta acção procurava indicar-lhes que a vila teria ainda muito que comer, pelo que os espanhóis, também eles quase sem comida, acabaram por se retirar, convencidos que ainda não seria dessa que subjugariam pela fome os portugueses.
Bom, dizia eu que foi ali naquela praça central, em plena Casa do Curro, Paço do Alvarinho, que fui fazer novo show de ilusionismo. Monção, que não se rendera aos espanhóis, desta vez rendeu-se à magia de Phil Mount, a fazer fé nos comentários das pessoas nessa noite e no dia seguinte. Mas vamos às fotos que ilustram este acontecimento (quase) épico!


...Figura_01: O cartaz anunciador do "verdadeiro artista" que, pelas 22H00, iria tentar encantar Monção...


...Figura_02: A chegada à magnífica Casa do Curro, local onde iria decorrer a actividade.



...Figura_03: Mas porque a casa é, ela própria, um verdadeiro monumento (e eu sei que, principalmente as mulheres, na foto anterior não a apreciaram verdadeiramente, ofuscada que estava... pelo artista! Lol), eis uma nova imagem, desta vez exibindo toda a sua esplendorosa beleza.


...Figura_04: Depois de tudo montado (com a prestimosa ajuda da nossa "nova amiga" Filipa Pires, a simpática colaboradora da Câmara que me contratou para este evento e cuja contribuição organizativa foi fundamental no sucesso obtido), ainda demos uma volta pela praça para apreciar alguns "momentos também mágicos"...


...Figura_05: E há hora prevista começámos a magia, iniciando com a produção dos três lenços que se converteram numa caixa mostrada vazia em três bolas das mesmas cores...


...Figura_06: Seguiu-se a produção de uma garrafa de vinho tinto a partir de um balão, que funcionou como "bola de cristal" (já que haviam outras 6 opções de bebidas distintas e o grande mágico adivinhou a seleccionada pelo jovem espectador). Ah! Para esclarecer, "o grande mágico"... sou eu! ;-)


...Figura_07: E como os leitores mais atentos puderam ler no programa anunciado (figura primeira), tinha sido prometido um conto e a produção de um peixinho... mágico! É já algo que os (milhões?) de fãs que seguem Phil Mount (a mim, portanto) por este mundo fora já conhecem...


...Figura_08: E porque adoro "os clássicos", fiz questão de fazer o efeito da "carta na laranja", o truque em que a carta rasgada por uma espectadora desaparece misteriosamente do envelope onde tinha sido colocada...


...Figura_09: E aparece completamente restaurada dentro da laranja (cliquem sobre a foto, que esta aumenta e já a poderão ver na laranja). Completamente? Não! Um pequeno canto que tinha sido entregue a outro espectador continua rasgado, confirmando-se o seu encaixe perfeito na carta restaurada...


...Figura_10: E porque Phil Mount também gosta de ensinar um pouco de história, eis o momento em que refere "a Espada de Dâmocles", falando assim desse cortesão amigo do imperador Dionísio de Siracusa, e a alusão ao quão ténue é a linha que sustenta a vida de governantes. Neste caso, a linha ainda se vê em fogo (fio flash), enquanto a espada cai sobre a carta seleccionada pela espectadora presente em palco!


...Figura_11: Eis a foto (possível) tirada com uma grande fã de Phil Mount (que pena não saber o seu nome!), enquanto a sua carta era "puxada" do meio do baralho pelo balão a esvaziar-se...


...Figura_12: Também é quase mítico o momento em que a aliança da espectadora viaja para dentro do pão firmemente empunhado desde o início num garfo pelo seu marido. Aqui o momento em que o artista (sim, eu!) o retira do interior do pão...


...Figura_13: Vários outros efeitos se sucederam, até ao momento sempre alto em que o artista rasga o jornal e o restaura prontamente perante o olhar atento (e um bruáááá de admiração) da assistência.


...Figura_14: Segue-se o momento em que prometo ensinar às pessoas a arte de assim rasgar e prontamente restaurar um jornal, em jeito de "mágico mascarado", desde que sigam e repitam todos os movimentos e gestos que lhes faço... com uma folha de papel higiénico.


...Figura_15: Eis uma imagem da sala com todas as pessoas a seguirem as minhas instruções, atentas e divertidas...


...Figura_16: E o momento em que descobrem terem-se enganado em algum momento do processo, já que eu mostro-lhes o papel higiénico completamente restaurado e o delas se apresenta todo rasgado em pedacinhos... ou terá sido por não terem usado um pó mágico genuíno? Se calhar tinham-no comprado numa qualquer loja chinesa! Mas o importante foi que todos se divertiram, como a foto não deixa enganar...


...Figura_17: Quase no final foi feito o sorteio, na pessoa do Sr. Vereador da Cultura e do Turismo, por todas as pessoas da assistência, de alguns prémios interessantes... Ah! E eu até tive direito a uma garrafa de vinho verde (pois claro!). Obrigado, Sr. Vereador!


...Figura_18: Na foto a "minha" garrafa... e a minha grande fã, ganhadora (merecidamente) do grande prémio do sorteio. Terei sido eu quem lhe trouxe a sorte? lol


...Figura_19: E porque era chegado o momento do último número, cerca de duas horas depois de ter começado (com as pessoas ainda ali, estoicamente, a assistir... e a gostarem!), aproveitei para endereçar os meus agradecimentos aos presentes, à Filipa Pires e, claro, à Câmara de Monção...


...Figura_20: Terminando então com a produção de uma garrafa (claro, de Alvarinho "Deu La Deu", já que estávamos na "sua" praça), que arrancou nova ovação na noite!


...Figura_21: No final bebemos uma taça de um Alvarinho bem fresquinho (até porque a noite estivera quente), fazendo a foto final com a "equipa da organização". Left to right: Filipa, Zé, nome desconhecido (sorry!) e Phil Mount.


...Figura_22: A mesma equipa, agora complementada com o companheiro da Filipa (a seu lado).

Claro que ir até Monção implica (quase obrigatoriamente) uma estadia no maravilhoso Hotel Convento dos Capuchos. Foi o que novamente fizemos, até porque aproveitámos o momento para visitar a nossa amiga D. Águeda, proprietária (com os filhos) do referido hotel, e que nos deu o grande prazer de ter assistido à noite mágica. Só tive pena de não ter tirado uma fotografia com ela, mas a hora tardia da noite, o cansaço e a necessidade de arrumar todo o material ainda antes de regressarmos ao hotel, fez-nos esquecer o "pequeno" detalhe... Bom, ela está no meio das pessoas, na foto que mostra a sala, mas praticamente não se consegue distinguir no meio de todos aqueles rostos...


...Figura_23: Imagem do exterior do hotel (junto à piscina), tirada do nosso quarto.


...Figura_24: E olha nós, tão lindos, no quarto que nos acolheu...


...Figura_25: O pequeno-almoço delicioso, que nos predispõe bem de imediato...


...Figura_26: E para vos aguçar o apetite para uma ida até ao Alto Minho e ao Hotel Convento dos Capuchos, basta dizer-vos que é um local eleito pelas estrelas do mundo artístico para a sua pernoita em Monção. Sim! Por Phil Mount... Mas também pelo Roger Hodgson. Esse mesmo, dos Supertramp... Quase tão conhecido quanto o primeiro!

Bom, esperando ter-vos despertado a curiosidade para irem até Monção e ao Convento dos Capuchos (porque não aproveitarem o evento da Feira do Vinho Alvarinho, que irá decorrer entre 1 e 3 de Julho?), despeço-me com os votos de uma boa semana. Brevemente trarei o relato da segunda caminhada dos Tocacaminhar (o PR da Vereda do Pastor), que realizámos no passado dia 8 de Maio. Até lá, fiquem bem!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home