7 de abril de 2014

Que descanse em paz, Manuel Forjaz!

Achei que hoje fazia sentido fazer nova publicação no meu blog, após tanto tempo de silêncio. Afinal, este espaço já contribuiu largamente para ajudar vários "anónimos" que, como eu, se viram confrontados com esta doença que, hoje mesmo, levou mais um ser humano.

Não conhecia o Manuel Forjaz antes de o ver na televisão, contando aos portugueses a sua luta contra o cancro. Também não o conheci pessoalmente, pois nunca estive presente em nenhuma das suas palestras (e foram muitas!), seja num TedEx, num Ignite ou mais recentemente em Aveiro, no ISCA, por ocasião da "atUAliza.te"... Por isso mesmo, não tenho qualquer opinião do Manuel Forjaz enquanto empresário (e muitos foram aqueles que o denegriram, falando dos seus "desvios", burlas ou enganos). Como ser humano, no entanto, ele passou a fazer parte da nossa vida, ao expor assim a sua história. A Maria José não perdia um programa seu na TVI 24, ouvindo-o falar desta maleita, muito por se rever em todas as suas palavras! Por "nos rever"... E é enquanto ser humano que hoje lhe presto esta homenagem, já que a sua perda nos toca um pouco mais a nós, companheiro que foi nesta doença que é o cancro e que com ele "perdeu" a sua batalha de vida.

Sim, é verdade que sempre que temos conhecimento de mais um doente oncológico que perdeu a sua batalha, isso mexe connosco! Porque continuamos a lutar diariamente, sabendo que a sombra da doença paira sobre nós qual abutre esperando pela sua hora. Uma simples gripe ou uma infecção, por mais inócua que aparentemente possa ser, poderá abrir as portas a que uma pequena célula se modifique e assim iniciar novo processo de carcinogénese! E esse é o medo com que temos que saber viver. Todos os dias. O segredo? Diria que é aprender a viver com isso, com naturalidade. "Viver com isso" e não "viver em função disso". Mas não o esquecendo, para nunca descurar os cuidados que deveremos ter. As precauções a tomar. Levar à letra o velho ditado português: "mais vale prevenir que remediar". Porque nesta doença não existe o "remediar"! Não temos esse luxo!

Felizmente também vamos tendo alguns casos de sucesso nesta batalha sem tréguas! Não tantos quanto todos gostaríamos, mas alguns. E cada um deverá ser um farol que nos ilumine, um marco que nos guie. Eu tenho-os... E quero continuar a sê-lo para muitos outros! Porque hoje eu sou um dos sobreviventes. Alguém que ultrapassou um T4 no cólon invasivo à bexiga e posteriormente metastisado ao pulmão! E que vive a vida na sua plenitude! Feliz e contente, realizando os meus projectos. Muitos! Partilhando alegrias. Muitas! Vivendo um dia de cada vez, mas sempre espreitando o amanhã... E o dia depois do amanhã! Todos os dias!

Manuel Forjaz partiu este domingo! Contudo, tal como ele disse, poderá ter morrido pelo cancro mas este nunca o matará! Porque a sua mensagem tocou muitos de nós. Assumindo a condição de figura pública ao entrar na casa da grande maioria dos portugueses através da caixinha mágica que é a televisão, deu a cara e falou da doença. Sem dramatizar  mas não escondendo o seu drama. Procurando passar uma mensagem de esperança, mesmo não a tendo ele para si. Deixou obra, deixou mensagem! Morrendo de cancro, o cancro não o matou!

Por isso aqui digo: Requiescat In Pace, Manuel Forjaz!

Também por ti e pela tua mensagem, espero continuar a ser um SOBREVIVENTE, passando a imagem que é possível vencer!



0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home